segunda-feira, abril 17, 2006



A NAMORADA


Ela está de pé nas minhas pálpebras
com os dedos nos meus entrelaçados.
Ela cabe toda em minhas mãos,
ela tem a cor dos meus olhos
e desaparece na minha sombra
como uma pedra sobre o céu.

Tem sempre os olhos abertos
e não me deixa dormir.
Os sonhos dela à luz do dia
fazem os sóis evaporar-se,
fazem-me rir, chorar e rir,
falar sem ter nada a dizer.


Paul Eluard


6 comentários:

Anônimo disse...

Esse Paul Eluard é que era feliz...

Zoe de Camaris disse...

Não sei, caro anônimo, afinal felicidade é algo flutuante. E Paul Eluard perdeu Gala para Salvador Dali o que não deve ter tido graça nehuma...

Jana disse...

como na fantasia ninguém precisa de coerência, eu confesso: queria um eluard e um dali.(torcendo para que esse último caprichasse menos na originalidade dos presentes...)

Zoe de Camaris disse...

eu acho que a Gala vacilou, Jana. Sou muito mais (em tese), um Eluard que um Dali. De qualquer forma, Gala teve um destino de Musa. E deve ter se divertido um bocado .... :)

comedorderanho disse...

Oi, bom passar por aqui e ver que com bom gosto o mundo toma jeito.

comedor de ranho
também escrevo
www.comedorderanho.blogspot.com

roberto prado disse...

Eluard, maluco republicano, sempre voluntário para sair de pesada confusão e cair em grossa pancadaria, Dali, maluco monarquista, quebrando a doideira de pedra do inconsciente. Realmente um baile de gala.