sábado, dezembro 29, 2007

Amor Líquido







O escorpião


Era uma vez um escorpião que decidiu não casar nunca. Tinha medo de ficar viúvo. Sabia que todos escorpiões podiam, de repente, suicidar. Mas o coração tem razões que até a razão desconhece. Caiu de amores por uma donzela escorpião. Sorte, era correspondido, mas ela também tinha, como ele, medo de perder seu amado. Preferiu não escutar o coração.

Por muito tempo, permaneceram sozinhos. O que os mantinha vivos era a curiosidade de saber o que o outro faria.

Um dia, ela decidiu procurá-lo e passavam horas na dança do amor, um tentando evitar ferir o outro e ser ferido. O medo da solidão sempre rondava. Vigiavam-se mutuamente, para evitar a morte.

A tal ponto que, sufocados, decidiram separar-se.

Desde então, passam a vida a se olharem de quando em quando, sempre indecisos entre o medo de ficar juntos e o risco do abandono.


Guiomar de Grammont
Caderno de pele e pêlo

3 comentários:

erika disse...

ô amiga. prometo que essa história também pode ter um final feliz.

taloco disse...

lindissimo... aliás.. seu blog é tudo de bom... tomei liberdade de botar este texto no meu... com os devidos créditos claro... se quiser conferir.... www.ninguemcaiaqui.blogsopt.com

até..

Pedro Souza disse...

lindo o texto!!

hehehe...é legal quando a gente fica emocionado ao reler esses textos.
Minha mãe manda um grande abraço e está bem feliz pelo reconhecimento e pela divulgacão.

Pedro de Grammont