quarta-feira, julho 07, 2004

A Pantera Onírica

A nossa alma é uma floresta sombria. Nela, deuses vão e vêm.
Devemos ter a coragem de deixá-los ir e vir.

D.H. Lawrence


Olhos cor de âmbar brilham na escuridão da caverna e ela se aproxima lentamente. O que representa a pantera na vida onírica? Diz-se que é um símbolo do desejo, das pulsões reprimidas, dos desejos inconfessáveis. A cor negra, símbolo atávico do inconsciente e a fera, energia sexual, primitiva, instintual. Para se chegar a um consenso (e a uma conclusão apressada), recorrendo ao velho bate-pronto, é um tapa: – “sonhar com pantera é vontade de transar”. Ponto. Talvez não seja tão simples assim. Então, vejamos:

As características mítico-simbólicas da pantera rondam o seguinte espaço de significação: o feminino-lunar, a eroticidade, a sensualidade, a sedução, a doçura do perfume que embriaga (e pode sufocar), a suavidade da pele de veludo negro, a flexibilidade, a instabilidade psíquica, a metamorfose, a ferocidade, o pavor, a paralisia e a morte - não necessariamente nessa ordem.
Dependendo do contexto e das emoções que cause a quem sonha, um sonho de angústia talvez, a pantera pode dar curso a um pesadelo. No entanto, é importante perceber que ela pode estar indicando o lugar onde os instintos foram lesados. Nesse caso, pode estar agindo como uma curadora, aquela que vem lamber as feridas do sonhador e, quem sabe, reparar os danos causados pelo recalque de sentimentos intensos. É uma possibilidade.
Achei na rede um texto curioso e que me fez refletir, uma consulta prestada por um terapeuta italiano a uma paciente anônima, e que tem a pantera como ponto fulcral:

.............

Um animal sobe no meu leito
(consulta atendida pelo terapeuta e grafólogo italiano Luciano Verdoni)

Oi Luciano. Eu gostaria muito que você fosse capaz de me explicar uma coisa estranha que me acontece de vez em quando: eu não consigo dizer se estou acordada ou se durmo, porque é tão real que tenho dificuldade de dizê-lo...Me acontece isso...Antes de tudo eu durmo sempre em posição fetal com a cabeça debaixo das cobertas, em tal posição, de repente, sinto alguma coisa que sobe na minha cama e de fato o meu corpo escorrega um pouco à esquerda...tenho medo porque não sei o que é e tento mover-me... Mas me encontro completamente paralisada, incapaz de me mexer e abrir os olhos...O medo torna-se tão forte que tenho receio de ter um enfarte. Isso que senti subir deve ser um animal como uma pantera. Apóia o seu queixo sobre a minha cabeça e respira ofegante... De repente eu consigo mover-me e em seguida encontro-me acordada. Mas não tenho os olhos entorpecidos como se tem de manhã tão logo quando se acorda, e é por isso que eu duvido estar dormindo. Todavia permanece em mim por toda noite uma sensação de terror que passa na manhã seguinte. Eu seria realmente grata se você conseguisse me ajudar. Meus cumprimentos.

Resposta de Luciano Verdoni

Eu não sei a sua idade e nem a sua condição com respeito ao matrimônio. A meu ver se trata de uma defesa da sexualidade. Você a percebe como uma divisão forçada de espaço íntimo (o leito que se abaixa), uma agressão física dissimulada e irresistível (a pantera). Você se sente impotente diante das pulsões da sua própria natureza (“tento mover-me... Mas me encontro completamente paralisada”) o queixo que o animal apóia sobre sua cabeça simboliza o púbis do parceiro que termina por condicionar o seu universo mental e emotivo (cabeça). Toda vez que você sonha isso, através do terror que você experimenta em relação ao símbolo adotado pela sua mente (a pantera), você esclarece parte da sua angústia da invasão sexual.

______

Não vou me deter no sonho porque o leito do rio que banha minha aldeia é outro, mas arrisco algumas sugestões: a pantera é um dos símbolos máximos do medo e da fascinação. Um animal enorme, negro e feroz. Seu poder paralisa. Dizem que um encontro “real” com uma pantera coloca uma pessoa “normal” em estado de prostração. Que é impossível fugir. Que ela hipnotiza. A mulher que se consulta com o analista tem um sonho de impotência e sofrimento. É impossível respirar. É impossível mover-se. É um excesso de emoções que não conhece escapatória no instante do sonho, no momento do encontro. Energia acumulada, vibrante, potencial.

Diz Clarice Lispector, em um trecho de Água Viva: “o excesso de mim chega a doer”. E em seguida, fala do seu encontro com a pantera:

"E quando estou excessiva tenho que dar de mim. Como o leite que se não fluir rebenta o seio. Livro-me da pressão e volto ao tamanho natural. A elasticidade exata, elasticidade de uma pantera macia".

Clarice, com sensibilidade afiada, percebe instintivamente a presença simbólica da fera e a resolve a questão na fluidez, fundindo-se ao caráter “macio” da pantera, criando um amálgama do que estaria dividido e precisa ser integrado. É uma força só.

Não, a pantera não é apenas medo e sexualidade reprimida. É um “vir a ser”. É o sinal das potencialidades adormecidas que, quando não despertas, transparecemn o sonho em sua negritude azulada. Se ela não for encarada e se o sonhador não fundi-la ao seu próprio potencial, acontece a paralisia. A pantera enjaulada. Diz Clarice:

"Uma pantera negra enjaulada. Uma vez olhei bem nos olhos de uma pantera e ela me olhou bem nos meus olhos. Transmutamo-nos. Aquele medo. Saí de lá toda ofuscada por dentro, o "x" inquieto. Tudo se passara atrás do pensamento. Estou com saudade daquele terror que me deu trocar de olhar com a pantera negra. Sei fazer terror".

A narradora assume as qualidades da pantera. Sabe como trazer para si a sua potência, é a dama do arcano XI. Teme, mas ajusta-se ao seu encanto. Sabe fazer terror. A pantera indica que o estado de intensidade precisa ser trocada com um parceiro para que possa ser reintegrada, re-assimilada e depois solta, como uma fera que se livra do Zoo. Talvez seja exatamente o que tenha faltado às heroínas das duas versões do filme Cat People. Agregadas à força nem sempre metafórica da pantera e que, em um movimento contrário, as antecede. Medos e desejos não precisam ficar em estado de latência desesperando o centro da caverna, o fundo do coração.

Em todos casos existe remédio. Nem sempre estamos prontos ou ainda não é chegado o momento de integrarmo-nos idealmente à sombra potencial que habita as verdades de nosso espírito. Na homeopatia, o loureiro, símbolo de Apolo, é receitado para quem sofre de sonhos recorrentes com animais negros, o que é um dado bastante curioso quando inferimos que o mito pode ser ponto de partida para a cura. O nome do remédio é Daphne Indica (Spurge laurel/ Daphne laureol). O Sol como antídoto. A planta também é indicada para pesadelos, insônia e para o desejo incontrolável de fumar, sintomas claros de que algo abafado precisa emergir.

Afinal, a pantera passeia atrás do pensamento.


Zoe de Camaris

16 comentários:

Ivan disse...

Interessante.
Eu raramente me lembro dos meus sonhos,
mas ultimamente devo estar sonhando
com panteras negras todas as noites...

=]

grrrrráurr

Zoe de Camaris disse...

Hummm, recomendo um chá de louro bem quentinho.
E depois, o que vc queria? pegou centos poemas de panteras para traduzir...
besos,
Zoe

Cosmo Réquiem disse...

Nossa ..

Cosmo Réquiem disse...

você não me conhece mas .. eu sonhei duas vezes com uma pantera e decidi pesquisar sobre isso na internet e topei com o seu Blog .

O intuito de pesquisar isso é pra fazer uma animação 2D com uma pantera (talvez)

bom , ótimo texto ..

se quiser , deixo o endereço do meu blog
bye

http://cosmorequiem.blogspot.com/

Anônimo disse...

ontem eu sonhei que estava com duas crianças na floresta e aparecia uma pantera negra, ela vinha me cheirar no pé esquerdo, eu vendo ela aproximarse ouço uma voz que me diz relax ou ela sentira teu medo, eu fico paralizada e ela só cheira o pé e va embora. Depois no segundo sonho eu fumo uma pipa-flauta com umos idios, aí acordei com nausea, mais devo dizer que não foi pesadelo, me senti bem, e vou tomar lauro antes de dormir! Grata. ALicia

Rozilene disse...

MEu nome é Rozilene,sonhei essa noite que tentavam me matar , dois homens,um deles trazia em uma corrente uma pantera negra enorme e o outro falava para mim que eles vieram me matar,este mesmo me jogava alcool e na hora que ia me atear fogo eu acordei desesperada..eram 3h da matina... Fui comentar com uma grande amiga minha e ela me contou apavorada que acordou desesperada às 3h da matina tb suando e com o coração acelerado(como eu)com alguém gritando nos ouvidos dela,vão matar a fulana !!mas ela não conseguia escutar o nome da mulher...
Em relação ao sonho,oq pode ser isso ?

Ana Beatriz disse...

Olá. Gostei muito do artigo, mas gostaria de perguntar o que significa quando a pantera é amiga. Sonhei que a pantera me deu um "abraço" e que me acompanhava por onde eu ia e em momento algum senti medo dela.

Ana Bomfim disse...

Interessante!Eu sonhei com uma pantera enjaulada no patio da minha casa.Ela estava pressa em uma jaula tao pequena e apertada que me dava pena e ao mesmo tempo medo,pois a jaula parecia fragil demais para um animal tao forte.Ela tinha um olhar triste e parecia esta com fome.Mas eu tinha medo de chegar perto para dar de comer a pantera.Nesse sonho havia outros elementos que creio estar relacionados com minha situaçao afetiva nesse momento.Me vejo muito identificada com a pantera do meu sonho.

Leila Macedo Arquitetura disse...

Tb sonhei c a pantera negra, ela corria muito e rápido, meu namorado corre e eu fico em pânico e n consigo me mecher, ela chega bem perto de mim e para cheirando outras coisas, parece q nem me vê...Acordo em seguida. O q quer dizer?

Paulo disse...

Boa tarde!

Eu também raramente lembro dos meus sonhos, mas na noite do dia 13neste sábado tive um sonho no mínimo muito interessante...
Sonhei que estava deitado em minha cama, mas não era eu em meu corpo físico, tinha me transformado em uma pantera. Sentia possuir a sua garra, o seu pelo, suas garras.
Em um determinado momento a porta do quarto se abriu, uma luz muito forte entrava pela porta e alguém, me chamava, foi neste momento que dei um grunido muito forte, senti até a força dos dentes... a porta se fechou e eu acordei...
Durante um pequeno tempo, frações de segundo, senti-me, ainda, naquele corpo.

fingers disse...

Muito obrigado pelo elucidativo post.

Ontem, tive um sonho em que, no meu quintal, havia tigres e panteras. Eu me assustava diante da possibilidade racional de ter feras no quintal e quão perigoso isso poderia ser, mas as bestas em si não me passavam agressividade.

Anônimo disse...

poxa que interessante...todos sonham que veem a pantera passando, ficam paralisados com sua presença mas o que acontece nos meus sonhos é bem diferente, eu encaro a pantera de frente, sao lutas violentas onde a unica solução é matar ou morrer, isso ocorre varias vezes, sempre ganho, ja sonhei enfiando um arpao nela,a ultima vez estava estrangulando-a...sao sonhos bem violentos, acordo mais cansada do que devia rsrssr

Anônimo disse...

Sonhei com vários leões e filhotes em cima de árvores e num quintal.De repente apareceu uma pantera negra e e eu a enforquei.Ela sangrou.Terminei com os leões e leoas.Fiquei apenas com os filhotes.Acordei com uma sensação de vitória

Anônimo disse...

Olá! meu marido sonhou noite passada com duas panteras negras: uma pequena e uma grande. Disse que a pantera grande o acompanhava por cima de uma parede e que observava inimigos o perseguirem, quando um deles tentou ataca-lo a pantera grande rasgou esse inimigo com suas unhas e o matou na frente dos outros que fugiram apavorados. No sonho dele a pantera o protegia e andava sempre perto dele, era sua amiga! já a pantera pequena dormia com ele na cama... o que pode ser? abracos

Anônimo disse...

Boa noite,

Já há dois anos tive um sonho, se é que posso dizer que foi um sonho, pois foi muito real, que a porta do meu quarto abruptamente dela vinha uma luz quente e bem acolhedora e a voz da minha mãe me chamava.
Todavia, neste momento eu já era uma pantera negra, sentia tudo e tinha consciência da cor dos meus pelos, a cor do meu olho, o tamanho dos meus dentes, com seu eu tivesse feito um "tour" por mim.
A luz de certa forma me incomodou, foi quando eu/animal fiz um grande som e a porta fechou-se.
O curioso foi que em uma pequena fração de segundo após o acordar senti as garras e o som do rabo batendo na cama.
Quando acordei estava em posição fetal e minha garganta doía muito.

Anônimo disse...

Nossa... Engraçado que sonhei que estava num ambiente historico, meio mitologico. Eu estava deitada num objeto semelhante a um sofa grego nao sei explicar. Nunca vi um antes. Mas as caractericas do ambiente faz pensar sobre algo grego antigo. E tinha uma pantera negra em cima de mim esfregando algo semelhante a uma esponja grudenta, molhada, um musculo suave e grudento em minha ginitalia. Acordei paralisada e retorcida com uma necessidade enorme e instanea de tocar onde estava se contorcendo. Acredito eu que seja a regiao do clitoris.
Foi bem louco. Ate entao nao tinha consciencia do animal pantera negra entao pesquisei na internet e tomei conhecimento do animal. E me percebi uma certa conectividade com lesbicas femininas que ate entao nao demonsravam ser ate o primeiro contato fisico esespontaneoComo se fosse um radar emocional. E ATE ONDE SEI SOU HETEROSSEXUAL... RSRSRSRS