domingo, outubro 07, 2007


Gradiva


A Mulher Anônima


Lembra-te daquela mulher
Que um dia te acenou do alto de uma varanda,
Daquela forma admirável mas sem nome
Que uma tarde te disse adeus
Enquanto o automóvel parou um minuto na estrada.

Lembra-te da mulher pouco decorativa, mulher simples
Que não tiveste coragem de arrancar violento ao espaço
E que certamente nunca mais tornarás a ver:
Lembra-te da bela mulher que estremeceu por ti
E sê-lhe fiel até o último dia da tua vida.


Murilo Mendes
As Metamorfoses

2 comentários:

Cris Ebecken disse...

Murilo Mendes sempre me estremece por dentro... Bjs!

Renata Zonatto! disse...

Muito lindo!!! Maravilhoso o seus escritos!!!